Ano 2019Destaques SemanalEdição JS Nr 401, Set 2019Edições

Inspeção Predial

Manutenção & Reformas

1. Como a inspeção predial deve ser encarada pelos síndicos e condôminos no dia a dia do condomínio?
Uma edificação possui diversos sistemas que necessitam de cuidados e intervenções periódicas. O síndico deve realizar as manutenções conforme o cronograma determinado pelas normas da ABNT e manuais das áreas comuns.
No entanto, existem procedimentos específicos para cada sistema que nem sempre estão especificados nas documentações do condomínio. É neste ponto que a inspeção predial realizada por profissional qualificado pode preencher esta lacuna, servindo ao síndico como parâmetro para um planejamento adequado das correções e manutenções obrigatórias do condomínio.

2. Como escolher um profissional qualificado no momento da contratação?
Uma boa maneira de avaliar a experiência do profissional é verificar sua assertividade em outros condomínios. Geralmente são apresentadas referências na proposta de serviços que podem ser consultadas e comprovadas quanto aos resultados positivos obtidos por outros síndicos. A troca de informações em grupos de síndicos nas redes sociais é uma boa maneira de obter indicações e retorno de gestores que já contrataram o profissional.

3. Que aspectos são levados em consideração pelo engenheiro no momento da inspeção predial?
Assim como o corpo humano, uma edificação também sofre desgaste com o passar do tempo. Logo, um dos principais aspectos é a idade do prédio, o tamanho e a quantidade de sistemas e/ou equipamentos que ele possui. Outra questão relevante é o histórico de manutenção e de que forma esta edificação está sendo tratada ao longo dos anos.
Portanto, a inspeção predial começa com a coleta dos dados do condomínio, os registros de manutenção, o levantamento visual ou vistoria durante a inspeção e, finalmente, o relatório da inspeção predial que irá apontar a necessidade de reabilitar os sistemas que não estiverem em conformidade, inclusive prescrevendo laudos mais detalhados de cada sistema de acordo com o grau de risco verificado pelo profissional.
Exatamente como acontece em uma consulta médica, onde o clínico geral assiste o paciente e prescreve exames mais detalhados conforme os problemas observados.

4. Quais são as consequências para os condomínios que não realizam a inspeção?
Principalmente degradação acentuada/acelerada da edificação, perda de garantia, desvalorização do imóvel e risco contra a segurança e a saúde dos moradores e pessoas que ali trabalham ou transitam.
A vida útil de uma edificação está condicionada aos cuidados que são dispensados a ela desde a entrega do empreendimento. As inspeções periódicas ajudam a prolongar o estado de conservação e a saúde da edificação por meio de recomendações feitas sobre o que fazer, quando fazer e como fazer para manter tudo em ordem.

5. A manutenção está relacionada a uma série de fatores, como acessibilidade, fachada, hidráulica, instalação elétrica, garagem, paisagismo etc. No geral, quais são as principais necessidades dos condomínios em relação a manutenção? E o senhor sabe informar isso especificamente em relação a Fortaleza?
A principal necessidade está em determinar de forma precisa e econômica o que deve ser feito para corrigir e manter tudo funcionando.
O síndico não tem a obrigação de saber a diferença entre a necessidade de correção de um defeito ou de manutenção em algo que está funcionando. Mas tem a obrigação de contratar um profissional de engenharia para realizar esta tarefa e orientá-lo quanto as prioridades das intervenções.
Com relação à localização da edificação temos algumas particularidades, como por exemplo Fortaleza e Rio de Janeiro, pois são cidades litorâneas e sofrem danos causados pela maresia que acelera a corrosão de motores, placas eletrônicas e grades de ferro.

6. Manutenções ou a própria inspeção exigem planejamento e organização dos síndicos e condôminos? Se sim, o senhor poderia dar algumas dicas para quem está se preparando para realizá-las?
Sim. Um bom planejamento começa pela contratação do profissional de engenharia que irá realizar as inspeções conforme a complexidade da edificação. Em seguida faz-se um cronograma de manutenções, seguindo os manuais do condomínio, as normas e as urgências que foram encontradas.
Uma boa dica é mostrar de forma transparente aos moradores do condomínio tudo o que está sendo realizado, o valor gasto com as manutenções e quanto está sendo economizado por conta da contratação dos serviços de inspeção predial. Ou seja, o quanto o condomínio evitou gastar com manutenções desnecessárias ou acima do preço de mercado.

7. Há algo sobre o assunto que não foi perguntado e que o senhor gostaria de acrescentar?
O papel da consultoria de engenharia nos condomínios é dar poder ao síndico e elevar o nível de sua gestão. E é isso que temos feito nesses últimos anos, quando iniciamos as atividades nos condomínios do Distrito Federal e apresentamos um plano de ação para atacar os problemas de engenharia.
Esse trabalho inédito de elaboração e aplicação da metodologia de inspeção e manutenção predial já foi aprovado por diversos síndicos em depoimentos que comprovam o caminho para a sustentabilidade e a redução do desperdício nos condomínios.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Indicamos para você!

Close
error: Content is protected !!
Faça seu anúncio no JS pelo WhatsApp