Ano 2020Destaques SemanalEdição JS Nr 411, JuL 2020

Coronavírus: veja regras de uso e de higienização de elevadores

Prevenção & Saúde

O elevador é um meio de deslocamento imprescindível nas
grandes cidades. Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Elevadores (ABBEL), no Brasil são cerca de 400 mil, que transportam milhões de pessoas todo os dias, muitas vezes mais até que o número de passageiros em ônibus.

Em época de pandemia pelo novo coronavírus, é essencial tomar medidas para preservar a saúde dos usuários. São orientações que perpassam aspectos como a quantidade de gente por vez, a frequência de higienização e a aplicação adequada de produtos de limpeza.

Atenta a essa que também pode ser uma ameaça à de saúde pública, a ABBEL elaborou uma cartilha com recomendações de cuidados básicos de prevenção nos elevadores para minimizar a propagação da doença no país. É um alerta para usuários, síndicos, empresas de manutenção e trabalhadores do ramo. Afinal, todos podem se expor ao risco, sem ao menos ter consciência sobre ele. “Sem que você saiba, alguém contaminado com a COVID-19 pode ter utilizado o elevador antes de você.

Alguém pode ter espirrado dentro da cabina e/ou tocado o mesmo botão que você irá apertar”, consta no documento.
Por ser um ambiente fechado e de pouca circulação de ar, o ideal é que o elevador não seja utilizado por muita gente por viagem – o indicado é não mais que três pessoas.

É o que ensina o infectologista André Fernando Diniz e Silva. Uma alternativa pode ser, quando não for possível o uso individual, priorizar o transporte conjunto de pessoas que vão para o mesmo andar.
“Se houver alguém com sintoma respiratório, é fundamental que frequente o elevador sozinho, com máscara, para não oferecer risco aos outros e, após sua saída, é bom fazer a higienização”, ensina. Em qualquer situação, a limpeza do equipamento deve ser realizada com água e sabão ou hipoclorito de sódio.

Se não for o caso de indivíduos suspeitos para o coronavírus, a higienização deve ser realizada entre duas e três vezes ao dia, esclarece o infectologista. “Ao sair do elevador e chegar em casa, é importante também lavar bem as mãos, porque acaba que tocar nas superfícies do elevador, como os botões dos andares, é inevitável. E são superfícies em que muita gente encosta”, diz.
VENTILAÇÃO

A Thyssenkrupp Elevadores divulga outras medidas, como manter as portas do equipamento abertas por um tempo maior para aumentar a ventilação, o que pode ser feito na hora da limpeza e também quando o elevador não estiver em uso, por meio de sistemas de gestão que permitem o deslocamento do equipamento para um determinado andar.

A empresa orienta ainda que a limpeza seja realizada por profissional capacitado e que, obviamente, não esteja no grupo de risco da COVID-19, como idosos e portadores de doenças preexistentes. Para os usuários, aplicar o álcool em gel para higienizar as mãos ao chegar e sair do condomínio, centros comerciais e empreendimentos com grande fluxo de pessoas, é essencial.

Entre as precauções principais a adotar quanto ao uso do elevador, a ABBEL destaca: não entrar quando estiver cheio, preferir as escadas quando for a andares próximos, usar lenços para acionar os botões ou tocar em puxadores de portas, evitar encostar nas paredes da cabina, entre outros.
Fique ligado: Associação Brasileira das Empresas de Elevadores (ABBEL) lista algumas dicas:
– Evite usar o elevador quando estiver cheio. Espere sempre a próxima viagem
– Caso precise descer apenas dois andares ou subir um único pavimento, opte pelas escadas
– Acione o botão de chamada do elevador com o auxílio de um lenço de papel descartável
– Adote o mesmo procedimento no botão interno da cabina para acionar o seu pavimento
– Adote o mesmo procedimento do uso de um lenço de papel descartável nas portas de pavimento do tipo eixo vertical. Ou seja, aquelas que necessitam serem puxadas com a mão para entrar e empurradas para sair da cabina
– Ao viajar no elevador, evite encostar nas paredes da cabina
– O condomínio deve efetuar a higienização do interior da cabina, se possível, a cada intervalo de duas horas, dependendo do fluxo de pessoas que circulam pelo elevador
– Nos botões de comando, utilize álcool gel ou líquido 70%, em um pano levemente umedecido ou papel toalha
– Nas paredes e piso, utilize água e sabão, ou mesmo água sanitária diluída em água
– É importante também limpar as portas internas e externas com desinfetante e também os puxadores
– Umedeça um tecido especial para limpeza no produto e passe suavemente sobre as partes do elevador
– É preciso cuidado para não aplicar produtos de limpeza diretamente sobre as peças como botões, visores, indicadores de posição, subteto, entre outros. Isso pode atacar as peças como acrílicos e plásticos
– Nunca utilize produtos abrasivos e esponjas de aço para não riscar os componentes. A mesma recomendação vale para os botões e puxadores de porta que ficam no pavimento
– Sempre limpe e desinfete objetos e superfícies que muitas pessoas tocam com frequência
– Basta um espirro ou mesmo uma mão mal lavada clicando um dos botões do elevador para o vírus se disseminar, no caso de uso por pessoas infectadas.

Fonte: www.em.com.br
Por: Joana Gontijo

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Faça seu anúncio no JS pelo WhatsApp