ArtigosColunistasDr. Mário GalvãoEdição JS Nr 390, Out 2018EdiçõesManutenção Predial

Manutenção Preventiva em SPDA e Sistemas Elétricos

“ Manutenção & Reformas ’’

Prezados leitores,

O Eng. Mário Galvão articulista do Jornal do Síndico, visando suprimir de melhores informações nossos leitores, ouviu o especialista em diagnósticos elétricos na área condominial, desta forma visando atender as inúmeras solicitações de síndicos e gestores prediais, nos possibilita esta oportunidade de esclarecimento sobre esta área de extrema importância que tem levado vários condomínios a consulta sobre a “manutenção preventiva em SPDA E SISTEMAS ELÉTRICOS”, desta forma trazendo conteúdo exclusivo para esta coluna e seus leitores.

Em todo serviço de inspeções e manutenções em Sistemas Elétricos e SPDA, visa manter a funcionalidade , aumento da Vida Útil , eficiência operacional e energética e segurança dos ocupantes da edifcação. Especialmente quando falamos em trabalho em acidentes , onde incêndios é a principal causa de acidentes nas edificações no Brasil. O menor descuido pode ser crucial para causar um acidente, portanto, o síndico deve estar atento para contratar empresas especializadas nesses sistemas construtivos.

Para que o síndico não tenha dúvidas sobre o tema, convidamos o sócio da empresa IPT Engenharia “especializada em diagnóstico elétrico predial”, Marco Oliveira, experiência de 25 anos no setor siderúrgico Cosipa/São Paulo como supervisor de eletrônica, instrumentação e automação em Altos Fornos, projeto desenvolvido no Japão com participação da NSC “Nippon Steel Corporation” em projetos de automação “injection of pulverized coal into blast furnaces”, especialista em termografia N-1 pela Tecnolass, membro participante da Abendi revisão da Norma ABNT , que irá nos explicar tudo sobre esse tipo de sistema.

P: Marco Oliveira, o que é a manutenção elétrica preditiva?
R: A manutenção preditiva é conhecida como um método que tem a finalidade de indicar as condições de sistemas elétricos, através de análise softwares e equipamentos especiais é possível conhecer sua condição de funcionamento e desempenho.
A Manutenção Preditiva proporciona o monitoramento do sistema elétrico a nível macro quadros e painéis chegando ao detalhamento de componentes elétricos.
Através desta análise e medição é possível se antecipar a problemas dos mais simples, a troca de um elemento elétrico ao de maior risco, curto circuito podendo levar o sistema ao colapso “incêndio”.
Há manutenção preditiva deve seguir um roteiro e uma periocidade conforma as características do elemento a ser inspecionado, empresas especializadas podem suprir síndicos e gestores orientando sobre a necessidade de cada sistema.
Alguns ganhos:
·previsão das intervenções nos sistemas elétricos;
·redução do risco de indisponibilidade por exemplo: bomba de água;
·redução de custos por chamadas de emergência;
·melhoria da vida útil do sistema, eliminado possíveis stress do sistema.

P: Marco Oliveira, quais as modalidades devem serem inspecionados em um condomínio ou edificação?
R: podemos dividir uma edificação em duas partes; a área comum e a área privativa.
Área comum, normalmente por apresentar a maior incidência de problemas é priorizada e muitas vezes a área privativa não é verificada quanto aos ensaios elétricos.
Podemos destacar alguns sistemas vitais para o funcionamento de um condomínio.
Elétrica:
-O quadro principal de entrada de energia (QGBT);
-Os quadros de distribuição de energia para as áreas privativas (PM);
-Os quadros de distribuição de serviço (QDF-serviços);
-Os quadros de comando de bombas;
-Os Quadros de comando de elevadores;
-Os quadros de comando do sistema de incêndio;

-O quadro do sistema geração de emergência (QTA);
-Sistema de aterramento;
-Proteções contra descargas atmosféricas DPS-I.
SPDA: sistema de proteção contra descargas atmosféricas
-Sistema de captação, Franklin e Gaiola de Faraday;
-Sistema de descida externa ou interna (estrutural)
-Anel de aterramento no solo;
-Caixas de Inspeção das hastes de aterramento;
-Interligação dos elementos de aterramento ao BEP;
-Proteções contra descargas atmosféricas DPS-I.
Quanto a área comum, alguns elementos devem ser avaliados sendo:
-Quadro de distribuição de energia;
-Tomadas e aterramentos;
-Proteções contra choque elétrico (DR);
-Proteção contra surto elétrico (DPS);
-Cargas dos principais consumidores como chuveiros etc.

P: Marco Oliveira, quais os ensaios elétricos realizados durante uma vistoria?
R: a vistoria elétrica deve ser divida em duas partes, a inspeção visual através itens indicados pela Norma ABNT 5414 e NR-10 nelas são verificados as não conformidades.
Outro ponto importante são os ensaios realizados por equipamentos como:
-Análise térmica nos quadros e painéis(termografia);
-Corrente de curto circuito nos disjuntores de caixa moldada (analisador elétrico);
-Queda de Tensão (analisador elétrico);
-Medição de aterramento de equipotencialização dos aterramentos (analisador de aterramento);
-Análise de sobre carga “corrente” (analisador elétrico);
-Análise de harmônicas (analisador elétrico);
-Ensaio de Trip de desligamento por tempo – DR (analisador elétrico);
-Ensaio de Trip de desligamento por corrente – DR (analisador elétrico);
-Ensaio de continuidade e resistência das cordoalhas SPDA (analisador micro ohmímetro);
-Ensaio de solo resistividade SPDA (analisador).
“A termografia elétrica, tem contribuído de forma significativa nas análises térmicas dos circuitos elétricos, isso é fato!”

P: Marco Oliveira, qual a periodicidade para realização destas vistorias?
R: não existe regras específicas determinando esta periodicidade vários fatores podem interferir neste tempo, por exemplo um prédio com mais de 30 anos deverá ter atenção especial e um período de vistoria menor devido o envelhecimento dos elementos que compõem o sistema elétrico e as atualizações das Normas 5410 e NR10 que poderá contemplar novas exigências.

Como regra podemos adotar:

-Elétrica anual ou havendo alguma alteração, instalação ou sinistros exemplo: curto circuito;
-SPDA anual ou quando for instalado alguma massa metálica na cobertura ou se o sistema for atingido por um raio.

P: Marco Oliveira, o que representa o laudo técnico de inspeção elétrica para o síndico?
R: o laudo técnico de inspeção elétrica é o retrato fiel das instalações, baseado nas Normas ABNT 5410, 5419 e a normativa do ministério do trabalho NR-10 que trata da segurança em trabalhos que esteja em exposição aos riscos elétricos o laudo de vistoria elétrica deveria ser entregue quando do inicio do habite-se do condomínio, é a certidão de nascimento do condomínio.
O laudo técnico de inspeção deve conter os seguintes tópicos:

-Capa contendo a data de realização, o local, nome do arquivo e o número do registro CREA;
-A equipe que realizou o trabalho de campo e análise dos dados com os registros CREA;
-Introdução a metodologia utilizada para avaliação;
-Tabela GUT “gravidade, urgência e tendência”;
-Imagens detalhadas apontando as não conformidades;
-Equipamentos utilizados na vistoria com certificado de calibração;
-Conclusão;
-ART de registro no CREA.

P: Marco Oliveira, qual a importância da entrega do relatório formalmente ao síndico?
R: o relatório técnico deverá ser entregue preferencialmente ao síndico juntamente com a comissão de obras do condomínio, em reunião pré agendada e apresentado de forma detalhada o conteúdo do mesmo, a importância se deve pelo fato do relatório apresentar detalhes extremamente técnicos de engenharia muitas vezes não compreendido pelos gestores pois não são especialistas da área, neste contexto a empresa contratada poderá apresentar em linguagem apropriada aos participantes.

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Indicamos para você!

Close
error: Content is protected !!
Faça seu anúncio no JS pelo WhatsApp
Close