Condomínio em Pauta

ME COLOCARAM NO GRUPO DO WHATSAPP DO CONDOMÍNIO. SAIO OU NÃO SAIO? O QUE EU FAÇO AGORA?

Por: CARLOS KLINGS

As redes sociais chegaram para ficar. Muitos síndicos não querem participar, pois nestes grupos há muitos condôminos que expõem suas opiniões de forma muitas vezes agressivas e até mesmo levam para o lado pessoal.

Quando convidam o Síndico a participar do grupo de whatsapp, a primeira ideia que vem a mente é : – prefiro não participar para não me chatear ou ficar deprimido.

No entanto, as redes sociais chegaram e é um caminho sem volta. Fazer parte dos grupos de whatsapp é de extrema importância para qualquer síndico que deseja , entre outras coisas, medir a satisfação e o clima do seu condomínio, assim como captar as informações e reclamações que muitas vezes, não são feitas pessoalmente.

Lidar com as redes sociais exige técnicas as quais são passadas atualmente em cursos de síndico profissional que ajudam a capacitá-los  no dia a dia das suas funções.

É muito importante saber como se posicionar perante um grupo e não mais individualmente, pois hoje em dia estamos todos conectados, principalmente pelo whatsapp, o qual leva mensagens instantâneas para todo mundo. Tudo pode ser visto e fotografado a qualquer instante e em tempo real .

Como o caso da moradora que entrou no condomínio e viu uma ¨lagartixa¨ no portão . Tirou uma foto e passou para o grupo de whatsapp do condomínio. Ao vivo era uma lagartixa, mas no whatsapp parecia mais um ¨jacaré¨.

De qualquer forma, usando técnicas adequadas de comportamento e comunicação, o síndico moderno não só conseguirá passar suas ideias com mais facilidade a um grupo maior de condôminos, mas também ficará atento as demandas de forma a atende-las de maneira rápida.

Um dos fatores primordiais para os síndicos que utilizam ou fazem parte das redes sociais, é ser consciente de que as reclamações e demandas não são pessoais. Ele precisa encará-las como alertas que o ajudam e não atrapalham.

Quando um síndico lê uma mensagem no grupo que trata de uma falha não só na segurança ou até mesmo na limpeza do condomínio, ele pode agir e dar o feed back não só para um único condômino mas sim para todo um grupo de moradores , sempre respeitando a posição de cada um  e ainda agradecendo o alerta.

Se o síndico percebe que o assunto é realmente pessoal e há um problema de relacionamento, ele deve se aproximar do condômino e tratar dos assuntos pessoalmente, respeitando-o e trazendo-o para perto da sua administração.

Há um ditado que diz, ¨antigamente nós lidávamos com uma formiga. Agora temos que lidar com o formigueiro¨.

Fonte: http://academianacionaldosindico.com.br

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Faça seu anúncio no JS pelo WhatsApp