Destaques Semanal

Piscina no condomínio: Segura, limpa e com regras

Por Redação Síndico Legal

O verão está chegando, e com ele chega também as férias escolares, e o uso excessivo das piscinas nos condomínios.

Mas afinal, quem que não gostaria de aproveitar as áreas comuns e o tempo livre pertinho da família não é mesmo?!

Mas para isso, o condomínio precisa cuidar muito bem do local, não somente nas estações mais quentes, e sim o ano todo, para que nessa época só seja necessário fazer uma manutenção de rotina.

O ambiente deve estar habilitado para uso sempre, isento dos horários em que for preciso fazer a manutenção no local.

Também é muito importante preservar o espaço, e mantê-lo seguro, principalmente para evitar acidentes ou afogamentos envolvendo crianças.

Apesar de não ser comum, todos os anos se vê notícias de casos de morte por afogamento em piscinas de condomínios.

 

Para isso vale ressaltar as responsabilidades civis e criminais do síndico, já que se for comprovado negligência do gestor, o mesmo deverá ser responsabilizado.

E para evitar que a sua gestão corra esses tipos de riscos, e para ajudar a deixar o local sempre em dia, o portal Síndico Legal listou algumas dicas e orientações.

Veja:

 

MANUTENÇÃO E CUIDADOS COM A PISCINA 

Manutenção e Cuidados com a Piscina

Uma boa manutenção é primordial, não apenas para manter a água sempre limpa e clara, mas também para evitar doenças de pele, micoses e até mesmo infecções intestinais.

A água precisa ser filtrada diariamente, e o cloro precisa ser controlado pelo menos a cada dois dias. E é recomendado que faça o controle do pH da água, no mínimo duas vezes por semana.

A limpeza das bordas, o uso de algicidas, a aspiração e a retrolavagem do filtro deve ser feita pelo menos uma vez por semana.

Um ponto que precisa muito atenção é o piso e as bordas da piscina, pois não podem apresentar nenhuma rachadura, nem lascas ou pedaços inacabados, precisam oferecer a maior segurança, para também evitar acidentes indesejados.

Para realizar a manutenção de maneira adequada, o ideal é escolher um dia em que a piscina seja menos utilizada.

 

A iluminação da área da piscina também deve ser levada em consideração, pois não pode estar em situações precárias e correndo risco de dar choques.

Se der choques, é porque a instalação não foi feita do jeito correto. Para isso, é recomendado que o síndico procure uma empresa especializada para conferir e corrigir a situação, efetuando as melhorias necessárias.

 

RESPONSÁVEL PELA MANUTENÇÃO A PISCINA

RESPONSÁVEL PELA MANUTENÇÃO APISCINA

 

Para definir quem será responsável pela manutenção da piscina, o principal fator a se considerar é o tamanho da piscina, dessa forma, irá conseguir escolher se o serviço precisará ser terceirizado ou não.

 

MOBÍLIA E SINALIZAÇÃO DA PISCINA

MOBÍLIA E SINALIZAÇÃO DA PISCINA

 

Não só a própria piscina em si, mas é muito importante cuidar de toda a sua área como um todo.

É de grande valia manter as mobílias sempre limpas. Fazer as vistorias das escadas da piscina e da área da ducha, para corrigir qualquer defeito que possa apresentar.

É recomendado que possua ou, seja implantada placa com indicações da profundidade da piscina.

E principalmente, para garantir a segurança, o ideal é que toda a área da piscina seja cercada e seja mantida trancada, para impedir que as crianças circulem sozinhas nesse espaço.

 

COBERTURA DE PISCINA

COBERTURA DE PISCINA

Para cobrir a piscina, é possível encontrar dois tipos de capas: a de proteção, que impede que as folhas ou sujeiras caiam na água, dessa forma, acabam colaborando com a limpeza; e as capas térmicas, que além de proteger das sujeiras e folhas, também ajudam a manter a temperatura da água.

No inverno a capa pode ser uma boa sugestão, já que a piscina não está sendo utilizada, o que também ajuda na diminuição da evaporação da água.

A capa ajuda também a evitar focos do mosquito Aedes Aegypti, pois qualquer acúmulo de água e sujeira, pode ser utilizado para depósito de ovos do mosquito.

 

Ressaltando que quando a capa não estiver sendo utilizada, ela deve ser guardada em local fechado, para evitar que seja danificada ou que ainda assim, de alguma forma, possa acumular água parada, e possuir focos do mosquito Aedes Aegypti.

 

RALOS DE PISCINA

RALOS DE PISCINA

 

Se a piscina do condomínio for muito antiga, a manutenção deve ser ainda mais precisa. É recomendado que tenha bastante atenção com possíveis azulejos soltos, ou também com a força da sucção do ralo.

Se a sucção estiver muito forte, será necessário chamar uma empresa especializada para fazer a regulagem do sistema e evitar grandes acidentes.

 

O ralo infelizmente pode passar despercebido, mas é um grande causador de acidentes, por isso, é muito importante que ele não fique de fora das manutenções.

 

SALVA-VIDAS, É OBRIGATÓRIO?

 

A obrigação de um salva-vidas nas piscinas do condomínio dependerá da legislação municipal.

Em algumas cidades a imposição desse profissional está associada ao tamanho das piscinas. Já em outras cidades a obrigatoriedade do salva-vidas é somente para piscinas públicas, o que não é o caso de condomínios residenciais.

É importante consultar a legislação do seu município e se adequar as leis locais.

 

USO DOS CONDÔMINOS 

USO DOS CONDÔMINOS

A piscina tende a ser um local bastante utilizado pelos condôminos. Uma dica para os condôminos usarem a piscina, é primeiramente conhecer bem as regras da área.

 

CRIANÇAS NA PISCINA

CRIANÇAS NA PISCINA

 

  • Idade: é recomendado que os condôminos votem em Assembleia qual a idade mínima para uma criança permanecer na área da piscina. E crianças com menos de 8 anos não podem ficar sem supervisão de um adulto, em nenhum momento. E só podem entrar na piscina de adultos acompanhadas por seus pais. Para a Justiça, os pais são os principais responsáveis pelos menores, em qualquer área comum do condomínio.
  • Piscina sem cerca: em alguns condomínios as piscinas não são cercadas. Nesses casos a atenção deve ser redobrada por parte dos pais, funcionários do condomínio e até mesmo do síndico. O trabalho de prevenção deve ser severo, para evitar problemas. 
  • Xixi na piscina: sempre que possível instruir as crianças a não fazerem xixi na piscina. É bom também deixar avisos para alertar os adultos de não cometer essa atitude.

 

Aspectos importantes: 

  • Ducha: é essencial primeiro usar a ducha antes de entrar na piscina. Deste modo, impede que protetor solar, óleo de banho, entre outros, suje a água e as bordas da piscina.
  • Comida e bebida: o correto é que não se deve comer e nem beber na piscina, porque também ajuda a manter a água limpa por mais tempo.
  • Vidros: devem ser proibidos na área da piscina, pois causam acidentes.
  • Som: para evitar confusão, é ideal que cada usuário use fone de ouvido, ao invés de usar som, pois é um ambiente utilizado por muitas pessoas.
  • Brinquedos: não devem ser permitidos na área da piscina brinquedos como: redes, petecas, bicicletas, skates, bolas; pois também pode causar acidentes.

 

Toheá Ranzeti – Redação Síndico Legal

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Faça seu anúncio no JS pelo WhatsApp